Resenhas

Resenha Lugar Nenhum – Neil Gaiman

“Até aquele momento, Door jamais se imaginara capaz. Jamais havia pensado que teria coragem, medo ou desespero suficientes para ousar fazê-lo. Mas levou a mão ao peito do sujeito e abriu…”

 Richard Mayhew é um rapaz comum, com um emprego de escritório banal, uma noiva que só quer seu bem e está finalmente se adaptando à vida em Londres, depois de três anos por lá. Ainda assim, sua atenção continua distante, deixando toda a sua vida um caos, como se não se importasse o suficiente com o mundo em que vive.

 Então, numa noite em que não parecia possível mais alguma coisa dar errado, tudo muda. Quando Richard e Jessica se apressam para um compromisso, surge na frente deles uma menina gravemente ferida, que tomba na calçada parecendo vir de uma porta que não estava mais ali. Ela implora para que a levem a um lugar seguro que não seja um hospital. Jess está preocupada demais com o jantar com o chefe para se importar com isso, mas Richard não podia deixá-la ali. Assim, ele pega a jovem no colo e a leva para seu apartamento, arruinando o terno, o noivado e adentrando o mundo de Londres de Baixo no processo.

“Que lugar seria aquele? Não pareciam os túneis de esgoto. Talvez fosse um acesso para cabos telefônicos ou um túnel para trens muito pequenos. Ou para… outra coisa. Percebia que não sabia muito bem o que se passava sob as ruas de Londres.”

 Lugar Nenhum (no original, Neverwhere) é o primeiro romance de Neil Gaiman, publicado em 1996, acompanhando a estreia da série televisiva da BBC de mesma história. Devido a múltiplos cortes e divergências entre a série final e o roteiro de Gaiman, ele preferiu escrever um romance que refletisse melhor a sua interpretação do mundo e dos personagens.

 O principal foco do livro é a ambientação. A maior parte da história ocorre na Londres de Baixo, um labirinto composto pela malha subterrânea da cidade e também por tudo que foi esquecido: Ruas que não existem mais, versões de sonho ou pesadelo dos pontos que ainda se encontram na superfície, lendas e figuras apagadas pela história, além das próprias pessoas esquecidas pela sociedade: moradores de rua, loucos, fugitivos, etc.

 É como se um espelho onírico refletisse a estranheza dos nomes das ruas e bairros de Londres e os reinterpretasse ao pé da letra. Assim, a estação de metrô de Earl’s Court (Corte do Conde) abriga uma pequena corte medieval e na Blackfriars (Freis Negros) existe uma comunidade católica de freis negros.

 É uma forma diferente de conhecer a cidade, enxergando não a sua estrutura física, mas a simbólica. Dentro deste ambiente, Gaiman desenvolveu facções feudais que lutam por território, cujas verdadeiras intenções e movimentos são somente implicados no pano de fundo da trama principal.  De adoradores de ratos à sete irmãs misteriosas, as subtramas de Lugar Nenhum dão a entender que o mundo de Londres de Baixo é muito maior do que o escopo da história.

01_Original Cover
Capa original tanto do livro quanto do DVD da série.

 Em questões de trama, pode-se dizer que é uma história muito “certinha”: segue de perto a Jornada do Herói no arco de Richard, e cada personagem tem o seu desenvolvimento e arco próprios, porém, a personalidade de cada um não parece tão profunda quanto os de outros personagens escritos por Gaiman em outras obras, talvez por ter sido originalmente escrito como uma série de TV. A história de Lugar Nenhum fecha muito bem em si ao mesmo tempo que abre espaço para novas tramas que poderiam surgir a partir de seu fim.

02_Casts
Vários elencos que já retrataram Lugar Nenhum. Acima e à esquerda: Parte do elenco original da série da BBC; acima e à direita: O elenco de estrelas do rádio drama que foi ao ar na Radio 4 em 2013; Abaixo: parte do elenco de teatro do Lifeline Theatre.

 Esta edição da Intrínseca deixou um pouco a desejar no quesito de revisão, e eu encontrei vários errinhos por todo o volume, mas que não prejudicam a leitura. Ela também vêm com uma noveleta escrita em 2014 que acontece pouco tempo depois da história principal, e é uma ótima pedida para quem quer saber mais sobre o mundo de Londres de Baixo.

 Ao fim da leitura, fiquei com vontade de saber mais sobre Lugar Nenhum, especialmente com os rumores de uma versão moderna da série que supostamente está em desenvolvimento desde 2015. Também gostaria de ver a adaptação para teatro premiada da história, assim como o livro que vem na sequência, The Seven Sisters, que Gaiman está escrevendo desde que terminou Mitologia Nórdica.

 E para os curiosos, é possível assistir a série original no Youtube (a versão que eu achei está em inglês com legendas em italiano). Recomendo ler o primeiro capítulo do livro e então assistir o primeiro episódio para ver as diferenças.

Até!

Anúncios

2 comentários em “Resenha Lugar Nenhum – Neil Gaiman

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s